english
salão de festas do Esporte Clube Pinheiros São Paulo - SP
ficha técnica
ano
2018
equipe

arquitetura 

pedro taddei neto

tito lívio frascino

renato lagos mentone

joão paulo daolio

baldomero navarro

ana paula carvalho

lucas da costa machado rios

danielle de góis menezes

bruna buratto finimundi

kawani yuri nishimura

alice costa feitosa

bruna akamine

 

paisagismo

camila vaccaro

 

cenografia

josé caros serroni

 

acústica

luiz carlos chichierchi

 

restaurantes, bares e buffet

carlos róman

 

logística

luis otávio calagian

 

estruturas

andré pinheiro

rodrigo sagula

alexandre sabadini

 

fundações

josé luiz de paula eduardo

 

elétrica

takaaki sato

 

ar condicionado

walter vaccaro

 

combate a incêndio

nilton miranda

 

orçamentação

mauro zaidan

 

projeto gráfico

estúdio 196 branding e design

 

 

A concepção de um projeto que concilie a preservação de um edifício existente e a adição de outro tem como requisito fundamental compreender, a partir de leitura acurada das permanências, os valores tanto materiais quanto simbólicos a resgatar, a manter e a valorizar.

O edifício do Salão de Festas, como integrante do Quadrilátero Social a ser revitalizado, acabou por resultar inadequado às necessidades e demandas contemporâneas, além de ter passado por mutilações e alterações de elementos estruturadores e essenciais de sua concepção original. Resgatar os valores culturais deste sítio, de seu significado social mais profundo, difundir seu conhecimento e sua contribuição cultural implica, no nosso entender, o restabelecimento da dignidade de sua arquitetura tomando como ponto de partida o sentido mais sensível do passado. Estas constituem, assim, as premissas gerais do projeto ora proposto, estendidas naturalmente à requalificação da área de acordo com as demandas e necessidades estabelecidas pelo Clube.

A partir da análise do projeto de Warchavchik concebido nos anos 1950 e da identificação dos valores ainda existentes, foi necessário estabelecer estratégias de adaptação desse passado, o da memória, ao presente, com a pretensão de continuidade rumo ao futuro através do resgate ou manutenção da coerência e do caráter impressos em sua arquitetura, sem comprometer, no entanto, as inovações formais e materiais necessários à sua requalificação. Em suma, dignificar sua existência no presente como premissa essencial e maior desafio deste projeto. 

QUANTO AO SALÃO DE FESTAS

· O partido de intervenção adotado, ao contemplar o programa de necessidades estabelecido, propõe a realocação do palco para o lado oposto ao que hoje se encontra, com toda a infraestrutura necessária e instalações cênicas completas e atualizadas. Com esta alteração, abre-se a face atualmente bloqueada por essa mesma função para o Clube. 

· Esta inversão implicou, por sua vez, a substituição do corpo original de serviços, de enormes dimensões, por edificação nova, menor e mais discreta.

· Externamente e a partir dessa alteração, o edifício, com sua volumetria inusitada e diferenciada, volta a surpreender e a refletir a majestade de sua forma circular fincada fortemente ao solo, e ao passado pelos pilares cujas pastilhas de vidro verdes são substituídas por pastilhas azuis, em contraste com o branco das faixas horizontais e com o verde da vegetação circundante.

· A atual cobertura é totalmente substituída para atender às atuais normas de segurança e suportar os equipamentos necessários às suas novas funções, se oferecendo ao observador externo com imponência.

· Internamente, o projeto estabelece a convivência entre materiais diversos com a peroba rosa emigrada da estrutura original da cobertura (170 m³), e atende não só a requisitos formais, mas também e principalmente aos de acústica. A volumetria espacial é valorizada e, ao mesmo tempo, o interior do Salão é trazido à contemporaneidade.

QUANTO À IMPLANTAÇÃO

· Neste caso, a necessidade de inversão da lógica da implantação original, de modo a integrar o Salão ao Clube e alterar os acessos - que passam a se dar pela Alameda das Palmeiras ou pelo estacionamento da Faria Lima – acabou por estabelecer um elo e uma condição de conjunto nunca antes existente e do qual também faz parte o edifício modernista da Sede Social do Clube, projetado por Ícaro de Castro Mello. 

· O novo volume projetado - que alberga a infraestrutura não só de palco como também os serviços  posiciona-se em paralelo à avenida e, por suas dimensões bem mais reduzidas do que as atuais, tanto em área como em gabarito, restabelece boa parte do recuo ceifado quando da abertura da avenida nos anos 1960 e, desta forma, recupera a dignidade do Salão ao permitir-lhe novamente emergir imponente  e voltar a marcar sua presença na cidade.

· A concepção adotada, por fim, recupera igualmente a área de jardins conforme intenção original comprometida ao longo do tempo e, portanto, a integração entre estes e o Salão.

QUANTO AO EDIFÍCIO

· O partido do projeto do novo edifício pretende primordialmente cumprir sua função de conciliador entre passado e presente nesse novo cenário arquitetônico. Pretende igualmente estabelecer uma convivência harmônica e integrada entre seus diversos componentes. 

· A identidade conferida ao novo edifício tira partido de muita transparência canalizando o máximo de luminosidade, inclusive ao propor, como elemento de transição com o Salão, uma cobertura em estrutura radial e vidro.

· A forma angulosa da laje de cobertura faz uma alusão à marquise frontal original demolida, quando da implantação da Avenida Faria Lima, um dos elementos mais marcantes da arquitetura do Salão.

· O edifício, com dois pavimentos acima do solo, é dotado de uma passarela coberta que promove o casamento entre o Salão, o novo edifício e a Sede Social e cuja cobertura se transforma em laje jardim para este último. No meio do caminho, como que por acaso, a laje absorve a vegetação arbórea ali  existente.

· Seja a partir da passarela, seja a partir do interior do lobby, o Salão de Festas e os jardins se fazem  visíveis e, portanto, presentes, todo o tempo, tendo como elementos comuns as cores branca e azul e a peroba rosa, também utilizada nos brises da fachada lateral. O Partido do Projeto reafirmará, desta forma, o inquestionável protagonismo do Salão de Festas no revitalizado Quadrilátero Social do Esporte Clube Pinheiros

imagens
desenhos
implantação
mezanino
rooftop
térreo
subsolo
corte A
corte B
corte C

© 2019 Obra Arquitetos - Todos os direitos reservados